domingo, 2 de outubro de 2011

Capítulo 3 – Odeio-te!

05/09/2010, Domingo.

10:05

Estava a acordar, e assim que abri os olhos estava o Rafa ao meu lado a ver me dormir. Eu assustei-me e caí da cama! O que lhe deu imenso prazer!

-RRR… Rafa!!!!!

-Chiiuu… Olha que a tia ainda percebe que eu estou aqui.

-Era muito bem feita!! Eu vou começar a trancar a janela a 7 chaves quando vou dormir!

-E eu acordo-te do lado de fora!

-Sai daqui que eu tenho que ir tomar banho!

-E? Não há nada que eu ainda não tenha visto.

-Parvo!!! Sai lá. Este é o meu quarto!! Volta a saltar para a tua varanda e desaparece!

-Tem calma. Eu vim só perguntar-te como correu a tarde de ontem.

-Correu bem. Já podes ir.

-Ok, não te chateio mais. Fico contente por ti, fui.

-Rafa… Vá, desculpa. Fica aqui, eu conto-te.  

-Eu sou um máximo. Isto resulta sempre. Vá conta lá.

Contei-lhe tudo o que se tinha passado no dia anterior, bom quer dizer, tudo menos a parte do Nando me ter beijado; e depois ele voltou a saltar para a varanda do seu quarto. Quando saí do banho, o telemóvel tocou. Era a Tixa, eu tinha me esquecido de lhe ligar conforme tinha combinado.

-Então, ontem estava a espera que ligasses. Tu não achaste aquilo tudo muito estranho? 

-Desculpa, eu acabei por me deitar assim que cheguei a casa. Podes crer que achei! Está na cara que foi o Miguel que fez aquilo. Só resta saber se foi pelo que estou a pensar.

-Pois. De certeza que foi por ter visto a Di e o JP juntos. Ele pode gostar dela, mas acho que aquilo é um bocado demais. Não tinha nada que bater no amigo!

-Claro que não! Epá, há aqui qualquer coisa de errado. Pelo que percebi, o calminho e boa onda era o Miguel, eu achei isso assim que o conheci. Não estou a perceber como é que ele foi ter uma atitude daquelas.

-Pois, ele parecia ser mais fixe que o JP. Pelos vistos as aparências enganam.

-Mesmo assim, eu ainda acredito que há algo errado.

-Bom, tá bem 007.  Mas eu não te liguei para falar do Miguel! Conta-me tudo.

-O que?

-Não te faças de totó. Vá, conta.

-Bem, eu fiquei lá, mas depois quis vir logo para casa, e ele deu-me boleia.

-Pois, acho bem. Mais ?

-E depois quando chegámos. Ele beijou-me. E logo a seguir quase que fugi, porque não queria que ele fizesse ‘’a pergunta’’.  

-És sempre a mesma coisa! Porque?

-Porque eu não sei se a resposta é sim ou não…

-Eu compreendo que ainda tenhas o Rafa na tua cabeça, mas fazia-te bem estar com outra pessoa, e acho que o Nando é a pessoa certa para ti.

-Mas porque é que vocês só sabem falar no Rafa?! Pois eu vou namorar com o Nando sim! E vou ser muito feliz.

-Aleluia! Tava a ver que não. Vá, não te esqueças de escrever o que acabaste de dizer.

-Não preciso. Eu sei o que quero. E neste momento quero ir tomar o pequeno almoço que estou cheia de fome. Falamos depois.

-Está Bem esfomeada. Vai lá comer. Beijinhos.

-Beijinhos.

Estava eu a comer os meus deliciosos cereais quando a campainha toca. Os meus pais já estavam a trabalhar, por isso estava em casa apenas com o meu irmão. Espreitei e vi uma rapariga alta, loira de olhos azuis, muito bonita. Perguntei ‘’Quem é?’’ como é hábito, ao que ela respondeu ‘’Sou eu amor! Abre.’’

-Abri a porta e olhei para ela á espera que ela notasse que não era o amor por quem ela estava a chamar.

-Hãã…Desculpa. O Rafael está?

-Rafael? Aqui não mora ninguém com esse nome.

-De certeza? É que eu ia jurar que ele disse que era aqui. 

-Deves estar enganada. Mas mora um Rafael aqui no bairro, 6 prédios á frente, lote 318, pode ser que seja o teu namorado.

-Obrigada! Desculpa mais uma vez.

-Não faz mal, vai ter com o teu namorado que deve estar ansioso por ver-te. Adeus.

-Adeus.

Voltei para dentro, e fiquei em casa o resto do dia.

21:30
– Depois do Jantar. Estava no meu quarto, a ler, quando entra o Rafa a refilar pela janela a dentro.

-Posso saber porque é que mandaste a minha namorada procurar-me pelo bairro todo, em vez de dizeres que eu moro na porta ao lado?!!!

-Ohh… Era tua namorada? Ups… Como estás sempre a mudar nunca sei quem são. Peço imensa desculpa.

-Não me venhas com ironias. Eu sei perfeitamente que tu fizeste de propósito. Porque é que não admites de uma vez que não suportas ver me com outras miúdas?!

-Ai é? E tu porque é que não admites que só andas com namoradas diferentes todas as semanas para me provocar?!!

-Deves te achar muito importante tu. Mas olha que se fosse esse o meu objectivo, estava a conseguir, porque tu ficas fula quando me vês com uma namorada.

-É me indiferente! E para tua informação eu também tenho namorado!

-Ai sim? O teu Nandinho já avançou foi? Parabéns.

-Sim! E eu estou MUITO feliz!

-Ainda Bem, Ainda Bem. Isso quer dizer que já me esqueceste por completo? (Aproximava-se de mim à medida que falava)

-Claro!

-E que já não sentes nada? (Cada vez mais perto)

-Sim!

-Mesmo nada?

-Nada!

-Isso é o que vamos ver!

Agarrou-me pela cintura, puxou-me na sua direcção, e com a mão no meu cabelo começou a beijar-me. Tentei resistir nos primeiros segundos, mas depressa me deixei levar no beijo. Depois de eu estar a participar na troca de beijos largou-me e com aquele arzinho irritante disse:

-Vês priminha? É só eu estalar os dedos que és minha.

Completamente irritada com o que ele disse, e sem pensar nas consequências, quando dei por mim já lhe tinha dado uma enorme estalada na cara. Logo a seguir deixou se cair na cama e manteve as mãos a tapar a cara, parecia realmente aflito. Eu inclinei me sobre a cama para tentar perceber se estava muito magoado.

-Rafa? Desculpa, magoei-te? Rafa deixa ver.

Ao ver que eu estava preocupada, tirou as mãos da cara e com um sorriso enorme disse:

-Eu amo-te sabias?

Quando percebi que ele estava muito bem de saúde afastei-me rapidamente.

-Ai pá! Porque é que tu és tão…tão… RRRR!!!! Odeio-te!!

-Claro que sim. Deu para ver! ‘’Rafa? Oh meu deus! Rafa, meu amor, estás Bem? Não sei viver sem ti!’’ (Imitava-me com uma voz muito fininha)

-Sabes o que eu odeio? O que eu odeio mais que tudo em ti? É tu seres meu primo! Realmente não há nada pior na minha biografia do que tu seres meu primo!!

-Nisso concordo! Porque se não fosse teu primo já não tinhas problemas em namorar comigo!

Assim que acabou a frase o seu telemóvel tocou.

-Olá amor! Sim, estou em casa. Está Bem. Dá-me 10 minutos.

-Isso mesmo! Vai ter com a tua namoradinha e deixa-me em paz.

-Pois vou! E tu vai ter com o teu Nandinho que deve estar a morrer de saudades.

-SIM! Adeus!

-E depois dizes que não me amas, tens uma crise de ciúmes cada vez que ouves falar da minha namorada.

-ADEUS RAFA!

-Adeus ciumenta. Fui.

4 comentários:

  1. começei a seguir hoje e ja estou a adorar

    ResponderEliminar
  2. REALMENTE A TUA HISTÓRIA É FANTÁSTICA

    ResponderEliminar
  3. estou a adorar! comei a ler hoje e ja tou viciada :S

    ResponderEliminar
  4. viciada.A tu história está mesmo bonita tens muito jeito ! PARABÉNS !

    ResponderEliminar